Saber como liderar pessoas vai muito além de concentrar poder para dar ordens. Comandar é, antes de tudo, assumir responsabilidades, por si mesmo e pelos outros. O bom líder é a figura que consegue transmitir comandos para sua equipe, extraindo o melhor de cada um pelo engajamento espontâneo.

O desafio é ainda maior quando se considera o perfil da geração millennials — nascidos depois de 2000 — e parte significativa da população economicamente ativa. Segundo pesquisa da Social Base, 75% desses jovens profissionais entendem que as empresas estão preocupadas apenas em lucrar, em detrimento das pessoas.

Essa percepção aumenta a necessidade de lideranças que saibam trabalhar por metas, mas sem perder de vista o fator humano e a capacidade de se relacionar. E se na sua empresa esse também é o desafio, confira um checklist para saber de que forma suas lideranças podem se desenvolver e obter resultados ainda melhores. Boa leitura!

1. Trabalho em equipe

Ninguém consegue resultados trabalhando sozinho. Por mais que a liderança seja fundamental, para que os objetivos sejam atingidos, é necessário esforço coletivo. Nesse sentido, uma liderança bem-sucedida é aquela que segue o princípio em que o bônus é resultado do trabalho de grupo. Por outro lado, o ônus em decorrência de possíveis falhas será sempre atribuído à figura do líder.

Parece injusto, mas, na verdade, a divisão dos bons resultados serve como estímulo ao trabalho em equipe. Já os maus resultados, por exigirem avaliação mais criteriosa para serem corrigidos, pedem uma abordagem mais individualizada.

2. Visão

Outra característica que todo líder precisa ter é a visão aguçada. Significa que todas as suas ações serão invariavelmente planejadas, antecipando o máximo possível as consequências. Além da capacidade de antecipar, a visão do líder deve ser ampla o bastante para medir o quanto suas decisões afetam os relacionamentos e a performance como um todo.

É o que acontece, por exemplo, quando um colaborador se destaca e, pelo bom trabalho, recebe algum tipo de recompensa. Será que outros membros vão entender que o que está sendo premiado é o mérito, e não a pessoa? São esses e outros aspectos que exigem da liderança visão que dê conta de evitar a formação de intrigas, seja por excesso, seja por omissão.

3. Competência

Não bastaria ser hábil nos relacionamentos e entender de pessoas sem competência para exercer um cargo de liderança. Contudo, ser competente não significa apenas ter um curso ou diploma, mas estar em permanente formação e aperfeiçoamento. Nada pior para uma equipe do que um líder desatualizado, principalmente em tempos de conceitos como Transformação Digital, Internet das Coisas e Machine Learning.

Logo, a competência deve ser baseada mais em uma postura de aprendizado constante e menos em títulos. Ser competente é saber como liderar pessoas pela capacidade inquestionável, ou seja, ser capaz de decidir conforme as práticas mais adequadas ao seu tempo.

4. Poder de decisão

Perceba que a competência tem relação direta com um outro aspecto inerente à liderança: o poder de decisão. Líderes capazes e bem preparados decidem com mais autonomia e, consequentemente, são mais seguros.

O poder de decisão é fundamental para garantir também a coesão de uma equipe. Líderes indecisos tendem a gerar conflitos, uma vez que não são capazes de traçar rumos para seus colaboradores. Nada pior para uma empresa do que líderes que não decidem com base em critérios sólidos ou o fazem por “achismo”.

5. Gestão de pessoas

Gerir pessoas equivale a acumular uma base multidisciplinar que permita superar obstáculos e imprevistos de diversas origens, de ordem prática aos mais subjetivos. Portanto, todo líder precisa conhecer a fundo tópicos como folha de pagamento e política de benefícios, passando por técnicas de motivação e resolução de conflitos.

Sendo assim, uma liderança realmente apta a extrair os melhores resultados precisa ter formação e experiência em gestão que a credencie a estar à frente de pessoas. Afinal, não por acaso, são as pessoas o principal ativo das empresas de sucesso.

6. Versatilidade

Não se pode esperar resultados diferentes enquanto as práticas permanecerem as mesmas, concorda? Sendo assim, uma liderança focada no bom desempenho deverá estar preparada para lidar com imprevistos e mudanças de planos com desenvoltura.

Sobre a versatilidade, uma história curiosa que se passou com a Seleção Brasileira na Copa de 1958 serve como exemplo do seu significado. Na preleção da partida contra a União Soviética, o técnico Vicente Feola exibiu sua estratégia, em um quadro-negro repleto de esquemas. Nele, estava descrita uma jogada que terminaria com um cruzamento direcionado ao craque Garrincha.

Com simplicidade, o Mané ouviu atentamente as instruções do comandante brasileiro e, ao final, fez a pergunta simples e direta: “o senhor combinou com os russos?”.

7. Empatia

Líderes bem-sucedidos têm também como traço marcante a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa, independentemente do contexto. Essa característica, mais conhecida como empatia, consiste em desenvolver espírito crítico em relação ao outro. Assim, é possível assumir uma dor que não é sua para compreendê-la mais profundamente e apontar soluções melhores.

Líderes empáticos são mais maleáveis e abertos à negociação, o que, em empresas com gestão horizontal, é sempre um requisito desejável. Nesse tipo de organização, as hierarquias são menos rígidas, ou seja, cada um tem relativa autonomia para tomar decisões e definir métodos de trabalho. Diante de um cenário como esse, em que a pluralidade prevalece, a empatia é muito mais que um traço de personalidade, mas um ativo valioso.

8. Comunicação

Já que destacamos a sabedoria popular na voz de Garrincha, um outro gênio do povo merece ser citado, mas, agora, para exemplificar o poder da comunicação. Chacrinha, o célebre apresentador, dizia com propriedade que “quem não se comunica se trumbica”.

Por mais cômica que pareça, a frase serve para ilustrar um dos pilares da boa liderança: a habilidade em se comunicar. Resumidamente, líderes de sucesso sabem o que dizer, como dizer e a melhor hora para se expressar.

Como liderar pessoas exige maestria para lidar com personalidades, aspirações e formações distintas, caberá ao líder desenvolver a si mesmo diariamente. A partir de sua própria experiência, poderá aprimorar suas competências para ter os melhores resultados de suas equipes.

Gostou do artigo e quer ajudar outras pessoas a liderar melhor? Compartilhe-o em suas redes sociais agora mesmo!