Muita gente quer otimizar os resultados de marketing sem aumentar o investimento em mídias pagas, mas não sabe como. Você também passa por isso? Saiba que é perfeitamente possível, desde que adote uma estratégia inteligente, como criar um blog.

Hoje, boa parte dos anúncios na internet são acompanhados do comando “pular”. Principalmente porque o consumidor não é mais atraído por publicidade. Ele quer acessar conteúdos interessantes, viver experiências, interagir.

Antes de apresentar uma oferta, é preciso criar laços emocionais. Nesse cenário, a maneira mais eficiente e barata de se relacionar com quem já é cliente e, ao mesmo tempo, atrair novos compradores é por meio da produção de materiais.

Neste post, vamos mostrar o conceito de blog corporativo, como montar um plano prático passo a passo, os benefícios de investir nessa ideia e outras dicas. Boa leitura!

O que é um blog corporativo?

É uma ferramenta que serve para criar e publicar conteúdos diversos, como: textos, artigos, infográficos, imagens, vídeos etc. Aliado a uma boa estratégia de marketing digital, pode se tornar um meio de comunicação extremamente poderoso.

O blog corporativo permite fugir daquele discurso formal (típico de instituição) e conversar com o cliente de forma leve e descontraída. Não é à toa que é o queridinho das organizações bem-sucedidas, sobretudo pelo baixo custo de manutenção e possibilidade de captar e converter leads.

Como montar uma estratégia para blog corporativo?

Todas as ações de marketing, independentemente do nível de complexidade, precisam de planejamento. Com o desenvolvimento de um blog empresarial não é diferente. Por isso, antes de qualquer coisa, identifique os objetivos que você deseja alcançar.

Educar o público, gerar leads qualificados, ser visto como autoridade no seu ramo de atuação são exemplos de propósitos a perseguir. Quais os seus? Pense em como gostaria de estar daqui a 10 anos. Esse exercício é ótimo para começar a organizar o futuro a partir de agora.

Sabemos que produzir conteúdo traz resultados, mas não dá para colocar as ações em prática de qualquer jeito, certo? Então, se ainda não fez um estudo detalhado para conhecer o perfil do seu cliente ou tem apenas uma ideia vaga das características dele, pare tudo o que estiver fazendo.

Dados como faixa etária, gênero, renda e localização geográfica são importantes. Entretanto, é preciso obter outros mais consistentes, como: preferências pessoais, hábitos de consumo, redes sociais preferidas. Quais as dúvidas dele? O que está pesquisando nos mecanismos de busca? Tem sonhos, expectativas? Quais?

Todas essas informações são fontes ricas para as futuras produções de conteúdo. Afinal, é recomendável que o público se identifique com o seu diálogo para seguir os posts, curtir e compartilhar. Caso contrário, a conexão emocional não acontece.

Para facilitar o seu trabalho, vamos falar de um CMS (Content Management System ou, em português, Sistema Gerenciador de Conteúdo) gratuito que pode ser instalado facilmente no seu computador, o WordPress.

O que é WordPress? Como ele pode ajudar?

O WordPress é o CMS mais popular no mundo usado para gerenciar sites, blogs, lojas virtuais, portais de notícia e qualquer tipo de página online. Possui duas versões: WordPress.com e WordPress.org. A primeira inclui hospedagem gratuita, mas oferece algumas desvantagens, como impossibilidade de instalar plugins ou personalizar as páginas.

Na opção .org, você faz o download gratuito dos arquivos, pode customizar a aparência do blog, instala temas personalizados e, se quiser, modifica tudo com alguns conhecimentos em PHP e CSS.

Após o login no sistema, aparece o painel de administração. É bem fácil de usar, intuitivo e prático. Dá para escolher templates (temas) gratuitos ou pagos. Outra vantagem é que a plataforma é Open Source. Significa que o código-fonte é aberto para quem quiser mexer ou criar novas opções de comando.

Isso acaba incentivando a comunidade que se dedica diariamente a estudar o programa. Ela é organizada em um fórum, que agrupa os melhores desenvolvedores. O grupo interage, tira dúvidas de outros usuários e compartilha conhecimentos publicamente.

Se você pretende montar blog institucional com uma equipe de diferentes autores, é possível configurar essa opção no sistema. Assim, cada um faz o login correspondente e ninguém interfere no trabalho do outro.

Quais são as características de um blog corporativo?

É importante pensar, sobretudo, na experiência do usuário. A responsividade é uma das características de um blog para empresa. Ou seja, quando o layout está adaptado para qualquer formato de tela: computador, celular, tablet e outros dispositivos.

Para a sua sorte, o WordPress é super responsivo. Não precisa se preocupar porque ninguém vai sentir dificuldade de ler no smartphone, viu?

A identidade visual é um ponto importante. O que vai diferenciar o blog da sua empresa de uma página pessoal? A personalidade da marca. A harmonia das cores, o logotipo e todos os elementos que comunicam o jeito de ser. Outro detalhe é a divulgação da visão e valores de forma clara e objetiva.

Além do mais, coerência nos textos, informações com fontes confiáveis e ortografia impecável também são atributos indispensáveis de um blog para empresa.

Como criar um blog corporativo passo a passo?

Com alguns cuidados na hora de configurar uma coisinha aqui, outra ali, observe as etapas necessárias para desenvolver o seu projeto:

Passo 1: Escolha do domínio

Primeiro de tudo, reúna-se com a sua equipe para uma tempestade de ideias. O objetivo é escolher um nome bem legal para o blog. Se for possível, que seja pequeno, objetivo e fácil de lembrar. Provavelmente, você vai fazer diversas tentativas para encontrar um disponível, já que existem muitos blogs na internet.

Consulte a acessibilidade do seu domínio no site RegistroBr ou no portal de serviços de hospedagem. As extensões mais conhecidas são: .com e .com.br. Para garantir que outras pessoas não adquiram um endereço parecido, a dica é comprar outras extensões, mesmo que não seja útil no momento.

Passo 2: Escolha da hospedagem

Agora, o ideal é providenciar o serviço de hospedagem que vai armazenar os dados do blog institucional. Existem muitas opções, mas evite optar por serviços gratuitos. Na hora que precisar de um suporte, ficará frustrado. Algumas empresas oferecem o domínio junto com os pacotes. Pode ser uma vantagem, principalmente se vier acompanhado de desconto.

Quando a hospedagem e o domínio são comprados em locais diferentes, é preciso fazer uma alteração de DNS. Isso significa acessar a página do registro de domínio e inserir o código fornecido pela empresa. Sem esse procedimento, o blog não será transmitido na web. Cuidado para não errar nenhum dígito na hora de preencher o formulário.

Passo 3: Instalação do blog (WordPress)

Instale a versão mais recente do WordPress. É um procedimento bem simples. Basta clicar no botão de download e esperar alguns minutos. O arquivo vem no formato .zip. Então, é preciso descompactá-lo em uma pasta no seu computador.

Se não tiver um sistema “one-click install”, é melhor criar um banco de dados dentro do cPanel. Na ausência do cPanel, use phpMyAdmin ou MySQL Client para concluir essa ação.

Depois de organizar arquivos e banco de dados, basta ir ao endereço de instalação, algo como: “www.seudominio.com.br/wp-admin/install.php”. Se surgir uma tela de boas-vindas, é sinal que deu tudo certo. Se não aparecer, verifique a configuração do wp-config.

Normalmente, esse arquivo precisa ser editado para se comunicar com o seu banco de dados. Se for muito complicado, peça ajuda ao pessoal do suporte da hospedagem.

Passo 4: Upload dos arquivos

A maneira mais fácil de transferir os arquivos do blog para o diretório onde o blog vai rodar é por meio de um software FTP. O FileZilla funciona bem no Windows e é uma opção gratuita. Prepare-se para eventuais problemas. Às vezes acontecem bloqueios, falhas e outros contratempos que surpreendem.

Nesses casos, é preciso tomar alguns cuidados, como:

  • verificar a conexão e os cabos de hardware;
  • checar as permissões de upload no servidor de hospedagem;
  • rever as atividades recentes para identificar possíveis erros.

Com a conta de cliente FTP configurada, encontre os dados de acesso ao servidor. Se a sua hospedagem tem cPanel, clique no botão “Contas FTP” para abrir uma conta nova, criar ou alterar a senha de uma já existente.

Passo 5: Exploração do dashboard

O painel (ou dashboard) do WordPress contém alguns comandos que você precisa conhecer. Lá, é possível gerenciar todos os conteúdos, inclusive criar e publicar os artigos. Depois de nomear o título e redigir, é recomendável escolher uma categoria antes de publicar. Assim, fica tudo mais organizado.

Clique no botão para criar nova categoria, revise o texto e observe as opções de publicação. É possível postar imediatamente ou agendar para dia e hora determinados. Outra dica útil é nomear a URL com um endereço amigável, caso a sugestão de link do WordPress seja muito extensa ou difícil de compreender.

Se quiser mudar o esquema de cores padrão do dashboard, é melhor procurar um tema personalizável. Também dá para instalar um plugin de gerenciamento de cores para montar a paleta própria.

Grande parte das alterações é feita em "aparência", na opção "widget". Explore as possibilidades de configuração do cabeçalho, rodapé, barra direita, esquerda e outras. A combinação de todos esses elementos influencia no formato do blog.

Passo 6: Escolha do layout

Há quem prefira começar um layout do zero, desenhar cada wireframe da estrutura. Porém, existem inúmeros templates prontinhos para instalar e adaptar. São modelos práticos, bonitos e funcionais que dão vida ao blog.

Portanto, escolha um tema alinhado aos seus objetivos. Caso queira mostrar imagens grandes, opte por um que privilegie essa opção. A aparência tem de ser profissional, mas não se esqueça de verificar se o sistema é compatível com diversos tipos de navegadores.

Passo 7: Instalação de plugins importantes

O WordPress é tudo de bom, mas não é perfeito. Mesmo com mil e uma utilidades, é necessário instalar outros programas para otimizar o blog. São os chamados plugins. É bom conhecer alguns e testar as funcionalidades para ganhar experiência. Você pode desinstalar quando quiser, se ficar insatisfeito. Confira:

Yoast WordPress SEO

Um dos melhores plugins de SEO gratuito, o Yoast WordPress SEO sinaliza os pontos de melhoria no seu post com cores. Elas simbolizam o que está correto, regular ou ruim. Assim, você não tem que perder horas para descobrir a qualidade das palavras-chave contidas na página.

WordFence

Infelizmente, os ataques ao WordPress são muito comuns. A boa notícia é que existem plugins como o WordFence, que protegem o seu blog de hackers. Ele permite limitar acessos a países nos quais o seu público não predomina.

Akismet

Limpar as mensagens indesejadas é uma tarefa chata e demorada. Nesse sentido, o Akismet atua como um defensor contra spam. Ele verifica todos os comentários e remove o conteúdo malicioso antes que seja publicado. Se não tem certeza se precisa instalá-lo, espere até começar a chover textos e ofertas por todos os lados.

WordPress Super Cache

É um plugin de cache que diminui o excesso de dados que o seu blog precisa carregar cada vez que uma página interna é aberta. O WordPress Super Cache também reduz a largura de banda da internet e mantém os arquivos online mesmo em momentos de picos de tráfego.

AddToAny WordPress

Colocar a opção de compartilhamento nos seus posts é fundamental para potencializar a entrega dos conteúdos. Na falta de um desenvolvedor para criar os botões, essa ação é muito mais difícil do que parece. AddToAny torna esse processo simples. Depois do plugin instalado, basta escolher onde o link vai aparecer e pronto.

OneSignal Push Notifications

Que tal enviar uma notificação para os leitores a cada novo artigo publicado? Assim, os seguidores recebem o material diretamente na tela do celular, e você tem certeza que a audiência está acompanhando. O OneSignal não tem custo, é utilizado por empresas como a Uber e funciona bem em qualquer volume de tráfego.  

Passo 8: Produção dos conteúdos

Antes de começar a produzir os artigos, leve duas coisas em consideração. A primeira é que existem muitos blogs incríveis na internet. A outra é o algoritmo do Google: cada dia mais inteligente.

Não queremos desanimar, mas essas informações são importantes para você entender que, se for para marcar presença na internet, vista a sua melhor roupa. Em outras palavras, ofereça conteúdo que verdadeiramente vai fazer a diferença na vida do seu cliente.

Portanto, dê bons motivos para as pessoas ficarem no blog da sua empresa por mais tempo. Responda às dúvidas delas, conte boas histórias e, sobretudo, seja honesto. O Google tem um olho que tudo vê!

Quais são os benefícios de um blog corporativo?

Não restam dúvidas de que essa estratégia é maravilhosa. Só para reforçar, acompanhe os principais benefícios:

Ser visto como uma autoridade no assunto

Visitantes, seguidores e clientes passam a ver você como um expert, já que o conteúdo publicado é bem redigido e contém informações relevantes. Com o tempo, é possível ganhar mais credibilidade e ficar cada vez mais próximo de fazer ótimos negócios.

Por isso, ajude o leitor a resolver uma dor, necessidade ou problema. Sempre que precisar, ele se lembrará da sua marca e não das outras. Além de tudo, pessoas satisfeitas sempre dão boas recomendações para amigos e parentes. É propaganda espontânea para o seu negócio. Pense nisso.

Aparecer na primeira página dos buscadores

Hoje, praticamente todo mundo recorre ao Google para tirar dúvidas de diversas naturezas. Desde dor nas costas à receita de pudim. Nesse contexto, quantas vezes você fez uma consulta e explorou os últimos endereços do resultado? Aposto que nunca, não é mesmo?

Quando alguém faz uma pesquisa, as chances de explorar as páginas seguintes são remotas. Estar nos primeiros resultados é uma conquista de quem investe em blog institucional. É claro que não basta publicar meia dúzia de artigos e deixar os arquivos lá criando teia de aranha.

Precisa suar a camisa. Em outras palavras, pensar e agir estrategicamente, conhecer o perfil do público, saber o que deseja e produzir conteúdo que engaja. Com frequência certa. Principalmente, com técnicas de SEO (Search Engine Optimization) aplicadas corretamente.

Então, publique artigos interessantes para o seu cliente e aplique as melhores práticas de otimização, como escolher e posicionar bem as palavras-chave.

Conquistar uma grande audiência

Ora, imagine a internet como um banco de dados gigantesco que não pode ser destruído facilmente. Pensou? Então, tudo o que você produzir de material digital vai ficar disponível lá para sempre.

As pessoas vão ler, interagir, curtir o perfil nas redes sociais, assinar a newsletter. Esse ciclo não termina enquanto o seu blog for um sucesso. Para tanto, é importante também usar CTA's ou Chamada para Ação.

Vamos supor que a intenção seja captar mais leads para a lista de contatos de e-mail marketing. Em vez de colocar apenas um botão de comando, faça algo mais convidativo. Mostre o que ele vai receber ao cadastrar o endereço.

Reduzir os riscos do investimento

Publicar conteúdo, interagir com o cliente, ganhar posições melhores nos buscadores e se comunicar bem são fatos que ajudam a proteger a sua empresa de impactos negativos.

Mesmo diante de uma crise financeira, por exemplo, com a entrada de novos concorrentes, mudança na política econômica do País ou outras situações, o seu blog vai estar lá, firme e forte. Tirando dúvidas, apontando soluções, conquistando novos seguidores.

Isso faz com que a sobrevivência do seu negócio fique em segurança, já que a internet liga uma ponte direta até o consumidor.

6 exemplos de blogs corporativos para se inspirar

Nada melhor que dar uma espiadinha em cases de sucesso para ter insights poderosos. Observe o que essas marcas fizeram para atrair tráfego e engajar seguidores:

1. Sorrisus

O blog da Sorrisus, uma franquia odontológica, traz diversas informações relevantes a respeito de tratamento dentário, tipos de anestesia, causas de sangramento na gengiva, dicas para quem usa aparelho ortodôntico, entre tendências e novas tecnologias do mercado.

2. AdsiveShop

O e-commerce que oferece artigos de decoração tem um blog que contempla artigos acerca de como planejar festas de casamento, arrumar o cantinho do café da casa, montar o apartamento com criatividade, como compor quadros na parede, entre outras dicas.  

3. Artsoft

Especialista em soluções de software de gestão e cloud computing, a Artsoft publica conteúdos sobre a importância do Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP) para o negócio, como isso ajuda na gestão financeira, otimização da integração bancária, fluxo de caixa, entre outros temas.

4. Magazine Luiza

O Blog da Lu apresenta dicas e informações sobre tópicos relacionados aos produtos vendidos na loja virtual. Os temas são variados, já que oferecem um mix muito grande: tênis que se ajusta ao pé por meio de aplicativo, modelos de fone de ouvido resistentes à água etc.

5. Disney

Quer saber quem são os indicados ao Oscar da Academia Disney? Conhecer a história da Capitã Marvel? Mary Poppins? O blog da Disney só não é tão divertido quanto estar lá. A chamada para o usuário se inscrever na newsletter aparece logo do lado direito da página.

6. Caterpillar

A Catterpillar oferece soluções e equipamentos agrícolas dentro de um modelo de negócio B2B. A empresa apostou forte na produção de conteúdos, que foram divididos por categorias: agricultura, construção, mineração, empilhadeiras e outras.

Como você viu, os blogs corporativos listados acima têm muitas coisas em comum: foco no que o cliente quer saber, criatividade para produzir conteúdos interessantes e frequência nas publicações. Bons exemplos estão aí para serem seguidos, não é mesmo?

Percebeu como criar um blog não é bicho de sete cabeças, apesar de dar um pouquinho de trabalho para configurar o layout? Com o WordPress, o CMS mais popular do mundo, é possível criar, editar, alterar e publicar coisas incríveis.

Lembre-se que o que diferencia a sua marca das outras é o jeito de se comunicar. Portanto, escolha um domínio amigável, capriche na identidade visual, fale de temas realmente importantes para a sua audiência.

Com essas dicas em prática, a sua empresa vai ser vista como autoridade no ramo de atuação, aparecer nos primeiros resultados do Google, conquistar um público muito maior e otimizar os resultados, entre outras vantagens.

Se gostou deste artigo, vai adorar saber como aumentar o número de visitas orgânicas no seu blog. Então, aproveite para ler também: Você sabe o que é link building? Aprenda a fazer aqui.