É difícil imaginar uma empresa bem-sucedida que ainda não invista na produção de conteúdo. Afinal, essa é a base de uma boa estratégia de marketing digital e os investimentos nessa frente tornaram-se prioritários para operações de todos os ramos e portes.

Se você considera que estamos exagerando na importância do digital, veja estes dados apurados na edição de 2018 da Content Trends:

  • 73% dos entrevistados declararam que investem em marketing de conteúdo;
  • 61,8% das empresas que não adotam essa estratégia disseram que pretendem fazer isso.

Para se ter ideia de como essa história tem evoluído, na edição de 2017 da pesquisa, o índice de operações que afirmaram usar conteúdo em suas estratégias digitais estava em 68,5%.

Neste post, vamos ajudá-lo a entender mais sobre produção de conteúdo para web, além de apresentar dicas para a otimização dos resultados obtidos com essa estratégia. Acompanhe!

Como essa história começou?

A produção de conteúdos próprios para as marcas não é bem uma novidade. Há registro desse tipo de atividade desde o século 19. Isso mesmo, data de 1895 a publicação de uma revista criada com o objetivo de levar informações sobre o produto e o setor.

Esse conceito por trás do marketing de conteúdo foi mantido: a proposta não é vender a marca diretamente (como se faz com a publicidade) e, sim, trabalhar em prol da reputação da empresa, mostrando que ela é uma autoridade naquele assunto.

O que mudou bastante foi a forma de se fazer isso e, claro, a importância conferida para essa estratégia. Afinal, quanto mais ela gera resultado, mais relevante ela se torna.

Não vamos entrar nas minúcias do processo de transformação digital que estamos vivendo. Contudo, é importante registrar que a internet abriu inúmeras possibilidades para as empresas na área de comunicação.

Diferentemente do que ocorria no passado, não é necessário um grande investimento para que as marcas mantenham sites, blogs corporativos e canais de vídeo, sem falar nas oportunidades de divulgação (e de repercussão) via redes sociais.

Por que investir na produção de conteúdo?

A criação de canais de conteúdos próprios para as marcas gera resultados imediatos em frentes importantes do negócio. Vejamos as mais relevantes:

Conhecimento da marca

Independentemente do porte, é possível ampliar a visibilidade da marca, tornando-a mais conhecida entre seus públicos de interesse.

Construção de autoridade

O blog corporativo e os perfis nas redes sociais têm um papel essencial, uma vez que vão ajudar a empresa a tornar-se referência no setor.

Geração de leads

Essa é uma das principais vantagens do marketing de conteúdo. É por meio dos materiais criados para a marca que conseguimos atrair visitantes e, se tudo der certo, convertê-los em clientes.

Relacionamento com o cliente

A produção de conteúdo não se limita à fase de atração. As ações de pós-venda também podem ser trabalhadas a partir da oferta de materiais específicos.

Como valorizar a produção de conteúdo?

Para que os conteúdos produzidos pelas marcas consigam alcançar tais resultados, não podem ser tratados de forma amadora. A concorrência pela atenção do internauta cresceu muito nos últimos anos e, vale lembrar, ocorre entre diferentes “autores”.

As empresas disputam espaço com os concorrentes diretos, organizações de outros setores e uma rede infinita de amigos, familiares, influenciadores etc.

Contudo, experiências bem-sucedidas nessa área comprovam que, independentemente dos caminhos adotados para a produção, é importante respeitar algumas premissas:

Planejamento

Se a proposta é conduzir o cliente por meio da jornada de compra, temos que saber exatamente o que será distribuído, quando, para quem e em qual canal.

A melhor forma de fazer isso é documentando tudo num planejamento bem estruturado, no qual definimos as ações, o orçamento, o cronograma e a forma de mensuração.

Atenção: lembre-se de definir objetivos de curto, médio e longo prazos para o projeto. É a partir daí que a estratégia poderá evoluir.

Tenha em mente que, para funcionar, é importante diversificar sua produção de conteúdo, investindo em vários tipos de formatos:

Com relação aos canais, a análise deve partir dos interesses do seu público, porém, é difícil ter sucesso sem ter um blog corporativo e perfis nas redes sociais. Vamos detalhar melhor isso nos próximos tópicos. Acompanhe!

Foco na persona

A definição da persona é uma das etapas principais da produção de conteúdo. A empresa tem que entender o comportamento do seu público e monitorar de perto suas reações para que consiga entregar algo relevante.

É isso que vai determinar o sucesso da estratégia. É por meio dessas informações que temos condições técnicas de estabelecer os demais itens, como o tipo de conteúdo mais adequado e a linguagem que será empregada.

Dica: com base nas informações coletadas, desenvolva um manual de redação para a sua marca. Ajuda bastante a agilizar as tarefas no dia a dia.

Conteúdos otimizados

A qualidade do conteúdo é avaliada pelo cuidado dedicado à produção, claro, mas não basta atenção ao assunto, texto, formatação, CTA etc.

Nesse tipo de atividade, é essencial a aplicação das técnicas de SEO. A explicação é simples: os serviços de busca são a porta de entrada para a internet, então, é preciso que seus canais estejam bem posicionados nessas plataformas para que o público encontre o material da marca.

Se ainda tem dúvidas sobre como fazer isso, baixe o Guia de SEO da Abradi – Associação Brasileira dos Agentes Digitais. Trata-se de um material bem completo sobre o assunto, produzido pelo comitê técnico da entidade.

Parceiros profissionais

A produção de conteúdos de qualidade exige serviços especializados, na medida em que é preciso cobrir diversos aspectos técnicos.

Uma dúvida recorrente de quem resolve apostar nessa área é se vale a pena investir numa estrutura própria ou contratar o serviço de terceiros.

A resposta para essa pergunta depende do volume do seu orçamento. Tem condições de montar uma equipe com profissionais especializados em cada uma das atividades e investir nas ferramentas de automação de marketing?

Se for esse o caso, pode ser uma boa saída desenvolver tudo internamente. Caso contrário, a melhor opção é a terceirização. Você ainda terá o controle da operação, mas poderá se dedicar à orientação estratégica, deixando a execução para quem tem experiência na área.

De qualquer forma, é importante ter noção de como funciona a produção de conteúdo, até para saber o que extrair de cada fornecedor, correto? No dia a dia, é preciso atenção com os aspectos mais técnicos, porém, o principal é o respeito ao seu público. Se colocá-lo em primeiro lugar, não tem como dar errado!

Gostou do artigo? Ajudou a esclarecer suas dúvidas? Então, compartilhe o post nas suas redes sociais.